ÓBIDOS

 Não preciso me alongar muito escrevendo sobre de onde eu venho, a minha região lá em Portugal, é mágica e para ver isso basta ver estas imagens.

Óbidos, pela sua excelente localização junto ao mar e como os braços da Lagoa chegavam ao morro.
Em 1148, o primeiro rei, D. Afonso Henriques tomou Óbidos aos árabes, após o cerco de Novembro anterior.
O Cruzeiro da Memória é um singelo monumento da época, mais tarde restaurado.
Óbidos pertenceu ao pentágono defensivo (dos cinco castelos), do centro do reino, idealizado pelos Templários.

Com a oferta de Óbidos como prenda de casamento de D. Dinis a sua esposa D. Isabel, a Vila ficou pertença da Casa das Rainhas, só extinta em 1834, e por aqui passaram a maioria das rainhas de Portugal, deixando grandes benefícios. D. Catarina manda construir o aqueduto e chafarizes. 

O terramoto de 1755 fez sentir-se com intensidade na Vila, derrubando partes da muralha, bem como alguns templos e edifícios, tendo ainda alterado alguns aspectos do traçado e do casco árabe e medieval.

É impossível nos dias de hoje, não passear pela Rua Direita, no centro da vila e não imaginar como seria à quase nove séculos atrás. Por isso o ideal é ir durante a Feira Medieval, imaginem-se em pleno séc. xII e com tudo a que tem direito.

Talvez eu seja suspeita de falar sobre isso, mas é tão encantadora e mágica que não dá para perder, e é muito perto de Lisboa, podem ir de carro, ônibus ou trem, super fácil, rápido e barato. 
Só não esqueçam de beber uma ginginha no copo de chocolate. (se não sabem o que é, fiquem atentas aos meus próximos posts).

Comentários