FALAR EM BOM PORTUGUÊS


Quem já viajou para o estrangeiro sabe que mesmo não sabendo falar fluentemente outra língua, com duas ou três palavras chave e um jogo de mímica, nos fazemos entender e na maioria das vezes somos bem sucedidas.  Mas quando viajamos para Portugal (ou Brasil, pois no meu caso a situação foi inversa) o tiro pode-nos sair pela culatra tal é a confiança na nossa língua mãe.

Quando emigrei para o Brasil, muita gente me dizia, ahh lá é fácil também falam português! Errado. Eu falo inglês, francês, espanhol e tive de me aprender a virar com o português do Brasil, porque essa familiaridade com a língua prega-me tantas partidas, que à mínima distração me deixa em maus lençóis (como já chegou a acontecer aqui no clube).  Claro que muitas vezes pode ser só má interpretação ou falta de pontuação (acreditem isso pode mudar o sentido completo de uma frase), mas a verdade é que há palavras proibidas para uns e tão normais para outros que além de mudarem de sentido perante quem as lê também muda o nosso caráter por completo ao serem mal interpretadas.
Também já me aconteceu muitas vezes dizerem-me que tenho um sotaque muito bonito, ao que eu sempre respondo que eu falo a língua original, são vocês que falam com sotaque, mas será mesmo assim? Uma das razões pelas quais nós entendemos o que um brasileiro fala, mas o brasileiro tem dificuldade em entender um português é em parte pela questão da evolução da língua, o brasileiro usa palavras que para nós são arcaicas, são palavras que os nossos bisavós usavam e que se perderam com o tempo, nós evoluímos e o português do Brasil não teve essa mesma evolução nesse mesmo ritmo, o que nos remete para a língua falada pelos portugueses na época dos descobrimentos que seria na verdade mais semelhante ao português atual do Brasil que o de Portugal.

Mas falando de palavras e Expressões.
Se um português te chamar de rapariga, não se ofenda, rapariga é só o feminino de rapaz, não há uma má intensão ok? Rapaz/Rapariga assim como zona também não tem maldade nenhuma. Já ir a Portugal e chamar um senhor de moço, não é tão simpático assim, um moço é um rapaz novo, pode soar a gozo, digo zueira.  O mesmo vale para a moça. Já agora, durex, é uma camisinha, não peçam durex se pretenderem colar algo que não seja o vosso boy.
Uma vez uma funcionária minha, chegou atrasada e desculpou-se dizendo que o marido tinha ido fazer um bico ao vizinho. Oiiiiiiiii?!! No meu português eu ouvi, ou escutei, bom, vou deixar usarem a vossa imaginação, porque nem me atrevo. Mas aqui está uma expressão proibidíssima lá em Portugal.

Cadarço é atacador, casa de banho é banheiro, autocarro e comboio equivale a um ônibus e a um trem , estilete é um x-ato, uma trena é uma fita métrica e uma vina é uma salsicha (mas isso se você não for Curitibana também sabe).
Em Portugal você não pega um taxi, apanha-o, assim como fala num telemóvel e nem paga roaming se sair da sua zona, o país é tão pequeno que não fazemos distinção, aliás, o facto de ser pequeno também ajuda na parte dos transportes, as autoestradas (autopista) são boas, mas confesso que as portagens (pedágios) são um pouquinho caras.

É verdade que nós falamos bicha, mas também é verdade que sabemos que isso é errado, então dizemos  na maioria das vezes já para criar conflito ou dar uma risada, mas independentemente da bicha ou da fila, não se meta à frente de ninguém (sim meter para nós também é uma palavra corriqueira, putz nem sei se esta ultima palavra existe cá). Nós em Portugal respeitamos as filas, e as bichas também, mesmo quando os chamamos de paneleiros.

Finalizando, se você for a Portugal ou falar com um português tenha duas coisas em atenção: primeiro, ele fala Português e não castelhano (isso é espanhol), segundo não diga Ora Pois, isso só existe no imaginário do brasileiro e você vai fazer figura de tola.



Se achaste este post fixe manda um bitaite aí...

Comentários