DRAVE - Uma aldeia perdida

DRAVE A ALDEIA MÁGICA
Conheci a Drave à uns anos numa caminhada de sobrevivência com um grupo de amigos, a Drave, é uma aldeia anexa á freguesia de Covelo de Paivó, concelho de Arouca. Aldeia perdida numa cova entre a serra da Freita e a serra de S.Macário.
Aldeia típica em que as casas são feitas de pedra denominada pedra Lousinha, sendo sua cobertura de xisto. Os arruamentos são irregulares, isolada das aldeias vizinhas
Nós fizemos um caminho inverso ao descrito, mas foi uma aventura e tanto.
Atualmente a Drave é cuidada pelos Escuteiros de Portugal, para visitar convém avisar, nós acampámos por lá mesmo, do lado de um riacho.

Como visitar:
Descrição do Percurso
Deixe o carro no início de Regoufe e passeie pelas ruas tranquilas da freguesia.
Partindo da capela, siga em frente, passando pelo meio da povoação. Vire no primeiro desvio à esquerda. Caminhe cerca de 100 metros entre muros de pedra que delimitam as hortas, até atravessar uma ponte sobre a Ribeira de Regoufe. Inicie o percurso por um carreiro do lado direito, marcado por uma subida de elevada inclinação, rodeada por mato e silvados, alguns carvalhos e, por vezes, eucaliptos e pinheiros. A meio da íngreme subida passará por um conjunto de castanheiros vetustos, de troncos ocos, marca da sua longevidade. Já no topo, deixe-se surpreender pela beleza e imensidão da paisagem.
Continue por um trilho à esquerda, envolto numa paisagem agreste de montes ondulados cobertos por um manto de montes baixos. Em breve, avistará, incrustada num vale fundo, a aldeia de Drave. É por entre xistos que se fará a descida.
Na entrada de Drave começam os originais muros de pedra, construídos de forma a sustentarem o homem nestas terras de acentuado declive. Nos dias de mais calor poderá, depois da caminhada, refrescar-se nas águas da ribeira de Palhais que atravessa a aldeia.
Para voltar faça o mesmo percurso, agora no sentido inverso, até Regoufe, onde poderá visitar ainda as minas abandonadas de volfrâmio.
 Drave
Rodeado de altos montes, Drave é um lugar mítico. A visão que do estradão se tem do povoado lá no fundo, é surpreendente. O Solar dos Martins e a capelinha dedicada à Nossa Senhora da Saúde destacam-se do esceta dos montes, uns atrás dos outros, a recortar-se da luz do poente, é sublime. Sublime é também a perspectiva que a seguir se tem do Vale de Paivô.
A principal festa é a Senhora da Saúde, a 15 de Agosto.
Regoufe
Do solo deste local e das montanhas que o envolvem foram extraídas e exportadas toneladas de volfrâmio, sobretudo para as Forças Aliadas, servindo para o fabrico de material bélico, uma grande parte do qual utilizado durante a II Guerra Mundial. Durante esse período, as minas foram concessionadas a empresários ingleses que faziam a sua exploração.
As principais festas e romarias são o S. Amaro, a 15 de Janeiro, e a Santa Luzia em Agosto.
Distância a percorrer - 8 km: 4 km de ida e 4 km de volta
Nível de Dificuldade - Baixo
Desníveis - Pouco acentuados, sendo inicialmente ascendente e depois suavemente descendente até Drave

Comentários