Castelo de Almourol

O Castelo de Almourol, situa-se no Ribatejo, na Freguesia de Praia do Ribatejo, Concelho de Vila Nova da Barquinha, Distrito de Santarém.

Erguido numa pequena ilhota de granito com 310m de comprimento e 75m de largura a 18 m acima do nível das águas, no médio curso do rio Tejo, um pouco abaixo da sua confluência com o rio Zêzere, à época da Reconquista integrava a chamada Linha do Tejo, actual Região de Turismo dos Templários.

Reedificado em 1171 por Gauldim Pais, mestre dos Templários e monge-cavaleiro a quem D. Afonso Henriques havia doado Almourol, foi aos poucos perdendo relevância na luta pela Terra Santa, dado o avanço dos combates e das conquistas para Sul por parte dos cruzados lusitanos. Entretanto, já no reinado de D. Dinis (de 1279 a 1325), dá-se a extinção da Ordem dos Templários, com todos os seus bens e direitos a passarem para as mãos da Ordem de Avis. Daí em diante Almourol sofreu várias alterações, com algumas das mais profundas a serem levadas a cabo já no século XIX e ao longo de grande parte do seguinte.

A travessia faz-se em menos de dois minutos, num pequeno barco a motor. O  bilhete compra-se directamente ao barqueiro.

Através de uma epígrafe sobre a porta principal, fica a saber-se que as obras terminaram em 1171, dois anos após a grandiosa obra do Castelo de Tomar. Em termos arquitectónicos, a opção foi a disposição quadrangular dos espaços. Com as altas muralhas, protegidas por nove torres circulares adossadas, e uma torre de menagem, que é considerada o centro nevrálgico de toda a estrutura.
Estas últimas características constituem dois dos elementos inovadores com que os Templários
pautaram a sua arquitectura militar no nosso pais. A torre de menagem é estranha aos castelos pré-românicos, aparecendo apenas no século XII e em Tomar, o principal reduto defensivo templário em Portugal.

A torre de menagem do Castelo de Almourol tinha três pisos e foi bastante modificada ao longo dos tempos, mas mantêm ainda hoje importantes vestígios originais, como a sapata, que nos dá a dimensão geral da estrutura. Também as muralhas com torreões adossados, normalmente providas de alambor, foram trazidas para o ocidente peninsular por esta Ordem e foram também aplicadas em Almourol.





Como  chegar: Apanhar a A1, sair na A23 – a 120 Km para quem vem de Lisboa, e a 225 Km para os que partirem do Porto; seguir a indicação para Torres Novas/ Entroncamento; tomar direcção Almourol.

Comentários